-Eu não sou louca! ele estava lá de verdade acreditem em mim!
eu vi a tudo, eu não pude fazer nada...
Aquilo não era humano de jeito nenhum, no começo achei que poderia ser um assalto mas aquilo não era humano.

-Senhora do que está falando?

-Ele... aquilo.. entrou no meu quarto sem abrir janelas ou portas ele estava lá.

-Pode ser mais precisa?

-Ele parecia humano mas não era.. ele fazia barulhos estranhos, ele ria pra mim, ele tem que ir embora.

-Sra. Camila, poderia descrever 'Ele'?

-Alto, magro, negro... não negro pele e sim sombra, eu conseguia ver a parede atrás dele, ele ria pra mim... RIA!! vocês tem que fazer alguma coisa!

-Se acalme por favor, onde você está nesse momento?

- Estou no porão em um armário... vocês podem me tirar daqui?

-Preciso que se acalme e fique onde está. Uma viatura irá chegar ai em vinte minutos.

-É muito tempo, preciso que seja mais rápido...

-Senhora, vai ficar tudo bem, só respire e se acalme.

No dia seguinte duas viaturas foram enviadas ao local do chamado. A casa estava completamente revirada, mas nada de valor aparente havia sido roubado. Conforme coordenadas da gravação da noite anterior, os policiais foram até o porão.

No local foi encontrado os corpos dos três policiais enviados para ajudar a moça da noite anterior. Os corpos estavam dilacerados, irreconhecíveis se não fossem pelas cabeças empaladas em perfeito estado com um sorriso maniaco gravado em suas faces.

A mulher do chamado não foi encontrada na casa. Sem sinal de arrombamentos em portas e janelas, somente o som insistente de sussurros e risos baixos por todo o porão.

Chamando...

-Delegacia de policia.

-Tem um homem na minha casa...

Escrito por: Camila Cruz
De: Ler Pode Ser Assustador

3 comentários:

Pages